Ouça agora na Rádio

Ouça agora

eMarketer prevê crescimento de dois dígitos em publicidade no rádio

eMarketer

Postado em 24/05/2021 por

Compartilhe agora

Crescimento é referente ao mercado norte-americano. Avanços significativos são previstos para 2021 e também 2022

Serão cerca de US $11,21 bilhões investidos nas rádios norte-americanas, resultando num avanço de 12% em 2020. E, para o ano seguinte, o crescimento também é expressivo: a eMarketer projeta mais 6%, totalizando US $12 bilhões de investimento publicitário no meio rádio dos Estados Unidos.

“Eu conheço muitas pessoas que fingem que o rádio tradicional não existe ou é uma coisa do passado, mas está muito vivo e bem e a maioria dos americanos ouve rádio tradicional com frequência”, afirmou Peter Vahle, analista de previsões da eMarketer, em apresentação dos dados obtidos pela empresa.

Em um conteúdo de podcast da eMarketer, Peter também fez outros destaques sobre o rádio. Segundo o analista, o conteúdo “casual” e “passivo” oferecido pelas estações ajudou a garantir seu domínio contínuo, mesmo com o surgimento de novas alternativas de streaming. Em sua fala, Vahle prevê que a transmissão de rádio via ondas continuará sendo o formato de áudio mais ouvido em um futuro próximo.

A eMarketer destaca que o rádio norte-americano acompanha a tendência de recuperação de gastos com publicidade. Segundo o analista Ethan Cramer-Flood a “demanda reprimida por publicidade tradicional” é um dos motivos pelos quais a empresa prevê que o total de gastos com publicidade em mídia global chegará a US $747,67 bilhões em 2020 (avanço de 15%).

Ethan afirma que “os gastos com publicidade tradicional crescerão este ano”. A eMarketer prevê que os gastos globais com publicidade tradicional aumentarão 7,6% este ano. “Os US $20,63 bilhões adicionais em gastos com publicidade tradicional ajudarão a impulsionar a reaceleração geral”, afirma o analista.

Vale lembrar que a própria eMarketer também prevê que os gastos com anúncios em áudio digital devem crescer 16% em 2021, algo que também beneficia diretamente o mercado de rádio, já que este contempla qualquer iniciativa do meio que seja streaming ou podcasts.

O quadro do avanço no digital colabora com as análises da Nielsen. Segundo a empresa, a receita digital de rádios locais pode avançar 9,7% em 2021, isso sem contar o crescimento no off-line que também é apontado nessas análises.

Conforme destacado pelo tudoradio.com, é fato que a receita de publicidade digital para as emissoras de rádio ainda está em um patamar bem abaixo do que é faturado no modelo tradicional, via ondas terrestres (FM ou AM). O mesmo ocorre com a parcela de audiência concentrada entre os ambientes off-line e on-line, porém nos dois casos, a previsão desde 2020 é positiva para quem trabalhar seus canais digitais, sendo um complemento importante de suas atividades. No período agudo da pandemia nos EUA, alguns grupos de rádios melhoraram os seus balanços na crise devido à receita vinda do on-line.

Já para países como o Brasil, perspectivas mais otimistas podem surgir a partir do segundo semestre deste ano, caso o processo de vacinação da população evolua, possibilitando uma abertura real da economia, influenciando diretamente no varejo (fundamental para o rádio local brasileiro). Seja aqui ou nos Estados Unidos, executivos da indústria de rádio já apontavam a vacinação contra a covid-19 como peça chave na recuperação econômica.

Fonte: Portal Inside Radio e Nielsen

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.