Ouça agora na Rádio

ONU liga alerta máximo para clima

Divulgação

Postado em 09/08/2021 por

Compartilhe agora

A temperatura média do planeta tende a se elevar em 1,5º C nas próximas duas décadas, trazendo devastação generalizada

Provocadas pela ação do homem, mudanças climáticas sem precedentes já são inevitáveis e irreversíveis, segundo um relatório elaborado pelo Painel Internacional da Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês). Segundo a entidade, que reúne os maiores especialistas no tema, a temperatura média do planeta tende a se elevar em 1,5º C nas próximas duas décadas, trazendo devastação generalizada. (Guardian)

E os efeitos já se fazem sentir, com a Grécia enfrentando o pior verão em 40 anos, a ilha de Eubeia, a segunda maior do país, foi literalmente devastada pelo fogo, com a população de suas cidades tendo de ser evacuada em balsas. (G1)

Para o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, o relatório é um alerta vermelho para a Humanidade. “O documento deve ser uma sentença de morte para o carvão e os combustíveis fósseis antes que eles destruam o planeta”, disse. (UNRIC)

No Brasil, que já enfrenta secas sem precedentes, um dos esforços para mitigar esse cenário exige repensar o agronegócio, dizem especialistas. O avanço descontrolado da pecuária na Amazônia está destruindo o bioma, com impactos no clima do Brasil e do mundo. (CNN Brasil)

Estados do Norte e Nordeste estão sendo prejudicados na distribuição de vacinas proporcionalmente a suas populações. O Ministério da Saúde diz que a disparidade resulta das prioridades no Programa Nacional de Imunização. Estados com mais idosos, por exemplo, receberam mais doses no início da campanha. (UOL)

A tentativa de compensar essa disparidade estaria por trás da briga entre o governo de São Paulo e o Ministério da Saúde. O ministro Marcelo Queiroga disse que há divergência entre os cálculos federais e estaduais sobre a quantidade de doses devidas a São Paulo. (Folha)

No Rio, a prefeitura da capital montou uma operação de guerra nesta madrugada para recolher e distribuir as doses prometidas pelo ministério e impedir a interrupção na vacinação hoje. (Globo)

Neste domingo, o Brasil registrou 388 mortes por Covid-19, com média móvel de 941 em sete dias, a 14ª seguida abaixo de mil. No total, houve 563.470 óbitos desde o início da pandemia. (G1)

Foi ótimo enquanto durou, mas terminaram na madrugada deste domingo os Jogos Olímpicos de Tóquio. Para o Brasil, foram os melhores de todos os tempos: 7 medalhas de ouro, 6 de prata e 8 de bronze, somando 21, duas a mais que as já históricas 19 da Rio 2016. Bicampeões olímpicos no futebol e na vela; donos de ouroprata e bronze no boxe; a prata do vôlei feminino mantendo nossa presença no pódio da modalidade; Isaquias vencendo com uma canoa de vantagem; bronzes no judô e na natação. E sem falar nos feitos inéditos. A estreia em grande estilo no skate, com três pratas e revelação da Fadinha; o primeiro ouro do surfe olímpico com Ítalo Ferreira; o ouro nas braçadas seguras de Ana Marcela Cunha; o bronze improvável no tênis feminino e, claro, Rebeca Andrade, a moça negra da periferia de Guarulhos que levou o baile na favela a Tóquio e voltou com o ouro e a prata. Que venha Paris 2024! (Globo Esporte)

Claro que a glória tem seu preço. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vai desembolsar R$ 4,6 milhões em bônus aos atletas. Confira quanto cada um vai receber. (Globo)

Foram também as Olimpíadas da representatividade, com a maior presença de mulheres e o brilho dos atletas LGBTQA+. (Folha)

No fim os americanos nem precisaram trambricar o quadro de medalhas. A vitória no vôlei feminino, praticamente a última competição, deu aos EUA a liderança, com 39 ouros, 41 pratas e 33 bronzes, contra os 38 ouros, 32 pratas e 18 ouros da China. (Folha)

Do peixinho de Ana Marcela ao atleta fazendo tricô, confira os vídeos mais inusitados dos Jogos. (G1)

Mas nem tudo é festa. O COB estuda processar a seleção de futebol por desrespeito ao patrocinador, a chinesa Peak. Na cerimônia de premiação, os jogadores enrolaram o agasalho do COB na cintura e subiram ao pódio com a camisa da CBF, patrocinada pela Nike. (Poder360)

A maior derrota foi da própria Tóquio. Como todas as cidades-sede, a capital japonesa esperava uma invasão de turistas e investiu muito para recebê-los, mas a Covid-19 esculhambou esses planos, mesmo com o adiamento em um ano dos jogos. (Folha)

A assinatura básica do Meio dá o essencial que você precisa saber naquele dia. A assinatura premium é para quem leva se informar a sério. Aos sábados, nos aprofundamos nos temas importantes do momento. Para acompanhar as notícias de forma prática durante o dia o Monitor, a ferramenta que usamos cá, para ajudar em nossa curadoria. Assine, informação é sempre um bom investimento.

Gestão Simples

Já foi o tempo que criatividade e finanças eram palavras opostas. Atualmente, a gestão financeira precisa combinar o rigor da análise financeira com a capacidade de ver oportunidades e riscos de ângulos diferentes. Segundo pesquisa global do Deloitte, os CEOs identificaram a criatividade, acima do rigor, disciplina de gestão ou visão, como a característica mais importante para que líderes naveguem com sucesso em um ambiente de negócios cada vez mais complexo. E os líderes financeiros têm papel fundamental nesse processo. Entenda como destravar a criatividade.

A inteligência artificial já é vista como essencial para a transformação digital de toda a área financeira, segundo pesquisa da NVIDIA. Porém essa transformação digital não vem sem barreiras: mais da metade citou a má comunicação e gerenciamento de projetos como as maiores dificuldades para uma implementação digital bem-sucedida. Enquanto a falta de liderança e visão foram o maior problema para um quarto dos participantes, especialmente nas pequenas e médias organizações.

A reforma do Imposto de Renda deve aumentar a tributação para PMEs que optam pelo regime de lucro presumido. A conclusão é de tributaristas, que calculam que a redução do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica proposta no texto não vai compensar a tributação de dividendos na fonte —com uma alíquota de 20%. (UOL)

Apesar da pressão de entidades empresariais, o texto já deve ser votado amanhã na Câmara e o relator prevê que terá mais de 300 votos de apoio. (Estadão)

Política

O inquérito administrativo contra o presidente Jair Bolsonaro aberto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por conta dos ataques às urnas eletrônicas tem um componente de potencial explosivo, revela o Painel. A Corte tem em mãos um dossiê de funcionários da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) detalhando o uso político da estatal não apenas na live em que o presidente admitiu não ter provas de fraude eleitoral. O caso já motivou uma notícia-crime no STF e pode caracterizar abuso de poder político e econômico, um crime eleitoral com potencial de inelegibilidade. (Folha)

Aparentemente alheio a essa situação, Bolsonaro participou de mais duas motociatas neste fim de semana. No sábado, o evento aconteceu em Florianópolis (SC), onde voltou a atacar ministros do STF, e ontem o presidente andou de moto com apoiadores do Distrito Federal. (Poder360)

Aliás… De olho em 2022, as medidas planejadas para alavancar a decrescente popularidade de Bolsonaro já atingem R$ 67 bilhões. (Folha)

Elio Gaspari: “Bolsonaro dá a impressão de que está metido numa briga com o ministro Luís Roberto Barroso, mas sabe que sua encrenca é com o ministro Alexandre de Moraes. Barroso chegou ao Supremo vindo da sua banca de advocacia. A carreira de Moraes foi outra: ele veio do Ministério Público e foi secretário de Segurança de São Paulo. Um aprendeu a defender seus clientes. O outro aprendeu a baixar o chanfalho em quem viola a lei.” (Globo/Folha)

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente Lula e seus assessores já trabalham com a possibilidade de Jair Bolsonaro não participar da eleição do ano que vem, revela a Coluna do Estadão. E isso não deixa os petistas felizes, pois avaliam que a polarização favorece Lula. Seria esse o motivo dos ataques do ex-presidente às tentativas de formação de uma terceira via. (Estadão)

Mesmo um eventual impeachment, porém, não tiraria Bolsonaro da eleição. Ao depor Dilma Rousseff em 2016, o senado, sob o patrocínio do ministro do STF Ricardo Lewandowski, manteve os direitos políticos da ex-presidente, criando um precedente. (Folha)

Radar: “A primeira notícia positiva para Jair Bolsonaro desde a chegada de Ciro Nogueira (PP-PI) na Casa Civil: se depender de Renan Calheiros (MDB-AL), a CPI da Pandemia terminará muito antes do que se imagina. O relator considera já ter elementos para fechar o relatório sem precisar usar os 90 dias de prazo da segunda temporada.” (Veja)

Esta semana a CPI tem dois depoimentos muito aguardados. Amanhã será ouvido o coronel da reserva Helcio Bruno, que teria intermediado um encontro entre a Davati e o então secretário-executivo do ministério da Saúde, coronel Élcio Franco. Na quinta-feira será a vez do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Segundo o deputado Luis Miranda (DEM-DF), Bolsonaro teria atribuído a Barros “rolos” no Ministério da Saúde. (CNN Brasil)

Não se sabe bem o que os três enviados do presidente americano Joe Biden esperavam do encontro na quinta-feira com Jair Bolsonaro em Brasília. Mas certamente não era que o brasileiro repetisse as alegações falsas de Donald Trump sobre fraudes nas eleições dos EUA. Segundo fontes, os americanos saíram chocados. (Globo)

Vista inicialmente como um afago a Bolsonaro, a decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de levar ao Plenário a PEC do voto impresso já é encarada por políticos como a oportunidade para sepultar de vez o assunto. A proposta foi rejeitada na comissão especial por 23 votos a 11, mas parlamentares avaliam que uma derrota igualmente expressiva no Plenário deixará o Executivo sem condições de insistir no tema. Hoje Bolsonaro usa o voto impresso como casus belli em seu confronto com o Judiciário. Derrotado pela maioria da Câmara, ele precisaria lutar com o Legislativo também, o que nunca é um bom negócio. (Veja)

Dos 24 partidos representados na Câmara, 15 já se manifestaram contra o voto impresso. (Globo)

Meio em vídeo. Neste episódio de Pedro+Cora, os jornalistas Pedro Doria e Cora Rónai comentam como o voto impresso pode significar um retrocesso para o sistema eleitoral brasileiro e seus perigos iminentes. Confira no YouTube.

Cultura

Todos os fãs estão com o pensamento no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde seguem internados com Covid-19 os atores Tarcísio Meira, de 85 anos, e Glória Meneses, de 86. Segundo a família, o casal evoluiu bem. Tarcísio precisou ser intubado para diminuir o desconforto no tratamento, enquanto Glória teve sintomas leves e deve ter alta nos próximos dias. (G1)

Dolmen, do estúdio potiguar Massive Work, ainda não foi lançado oficialmente, mas já embala uma discussão: os desenvolvedores brasileiros de games têm como brigar de frente com os grandes estúdios que produzem os multimilionários jogos “AAA”? A resposta ainda é não, mas apostas independentes e marcadamente brasileiras, como o premiado Dandara, e jogos de gráficos elaborados e pegada menos regional, como o próprio Dolmen, podem mudar esse cenário. (Folha)

Cotidiano Digital

O grande vencedor das Olimpíadas foi o TikTok. A plataforma se tornou a rede social mais adotada nos bastidores, impulsionada principalmente pelos jovens atletas. O conteúdo foi onde não chegam as câmeras, desde a cama de papelão da Vila Olímpica até o funcionamento da privada tecnológica do Japão. Mais de 60 atletas brasileiros aderiram à rede social e atingiram níveis de influenciadores digitais.

As Olimpíadas também foram marcadas por outras inovações tecnológicas, como um broche para cada atleta com um marcador de passos e carros controlados remotamente que coletavam os arremessos de peso.

A Apple começou a colocar em uso um sistema que checa iPhones à distância para verificar imagens de abuso sexual infantil. A tecnologia só será adotada nos EUA e funciona antes de uma imagem ser armazenada no iCloud — procura correspondências com material de abuso sexual infantil já conhecidos e se identificado, o usuário é denunciado às autoridades. A novidade não pegou bem entre especialistas de privacidade que acreditam que a tecnologia possa ser expandida para rastrear telefones em busca de conteúdo proibido ou mesmo discurso político. (BBC Brasil)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.