Ouça agora na Rádio

Comandante de batalhões da PMSP convoca para atos bolsonaristas

Divulgação

Postado em 23/08/2021 por

Compartilhe agora

Depois que o Comando da PM foi avisado, o coronel fechou seu perfil

A Polícia Militar de São Paulo vive um caso grave de insubordinação motivado pelos atos de apoio a Jair Bolsonaro no Sete de Setembro. O chefe do Comando de Policiamento do Interior-7 (CPI-7), coronel Aleksander Lacerda, usou o Facebook para convocar “amigos” a participarem da manifestação bolsonarista na Avenida Paulista. Segundo revela o jornalista Marcelo Godoy, Lacerda, que comanda 5 mil homens, ainda atacou o governador João Doria, ao qual a PM está subordinada, e o STF. Depois que o Comando da PM foi avisado, o coronel fechou seu perfil. Ontem o coronel PM da reserva Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo, que preside a Ceagesp, convocou por vídeo “todos os veteranos” a apoiarem o presidente “contra o comunismo”. Nos dois casos, a PM disse que o assunto está com corregedoria. Já Doria ainda não se manifestou. (Estadão)

Pois é… O governador terá de se apresentar. João Doria estará, hoje à noite, no centro do Roda Viva. (TV Cultura)

O aviso de que o risco maior à democracia vinha das PMs já havia sido dado por militares de alta patente a emissários de cinco ex-presidentes – José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso, Lula e Michel Temer. As Forças Armadas sinalizaram que não estão nada satisfeitas com essa radicalização (Estadão)

E a Paulista vai ser exclusiva dos bolsonaristas no Sete de Setembro, segundo decisão do governo estadual. Movimentos de oposição terão o espaço no dia 12. (Folha)

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de, contrariando apelos de aliados, pedir ao Senado o impeachment do ministro do STF Alexandre de Moraes teve até o momento apenas uma consequência: fazer políticos, a magistratura e o próprio STF cerrarem fileiras com o ministro. Apresentado na sexta-feira, o pedido, ao contrário do que prometia Bolsonaro, deixou de fora Luís Roberto Barroso. No mesmo dia o STF divulgou nota de apoio a Moraes, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse não ver fundamentos no pedido. No sábado, o STJ, a OAB e as associações de juízes e procuradores se manifestaram contra o que consideram um ataque ao Judiciário. Para fechar o pacote, ontem foi a vez de dez partidos políticos – PDT, PSB, Cidadania, PCdoB, PV, Rede e PT em um manifesto e MDB, DEM e PSDB em outro – defenderem o ministro. (Folha)

Também no domingo, em sua conta no Twitter, o decano do STF, ministro Gilmar Mendes, foi duro: “A fabricação artificial de crises institucionais infrutíferas afasta o país do enfrentamento dos problemas reais. A crise sanitária da pandemia, a inflação galopante e a paralisação das reformas necessárias devem integrar a agenda política. É hora de reordenar prioridades”.  (Twitter)

Aparentemente Bolsonaro conseguiu derrubar um (candidato a) ministro do STF. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) decidiu que não vai pautar a indicação de André Mendonça à vaga aberta no Supremo pela aposentadoria de Marco Aurélio Mello. (G1)

Bela Megale: “Com o caminho de Mendonça para o STF mais emperrado do que nunca, o presidente do STJ, Humberto Martins, voltou a trabalhar intensamente para se viabilizar como alternativa para a vaga da Corte. Sua chance é agora ou nunca. Em 7 de outubro, ele completa 65 e não poderia mais tomar posse no Supremo.” (Globo)

Merval Pereira: “Jogar-se contra o STF por conta própria, Bolsonaro e a turba que adere às suas provocações e arruaças, mostra mais desespero que fortaleza. Assim como a patacoada militar que encenou, com o desfile de tanques sucateados, só trouxe perda de prestígio para ele e os comandantes militares.” (Globo)

A juíza Pollyanna Kelly Alves, da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, rejeitou a denúncia contra o ex-presidente Lula e os demais acusados no caso do sítio de Atibaia. O Ministério Público Federal havia apresentado a denúncia após o ministro Edson Fachin anular e retirar da Lava-Jato de Curitiba as ações contra Lula. A juíza, porém, avaliou que o MPF não apresentou novas provas, além das obtidas pela força-tarefa do Paraná, tornadas nulas quando o STF considerou que o ex-juiz Sérgio Moro foi parcial nos casos envolvendo o ex-presidente. Cabe recurso, mas a decisão praticamente enterra o processo. (G1)

Lauro Jardim: “Jair Bolsonaro botou nas mãos de Ciro Nogueira uma guloseima apetitosa. Ofereceu mais quatro ministérios para o Centrão — ainda sem definição de quais seriam exatamente. Dois irão para o Senado escolher e mais dois para a Câmara.” (Globo)

Depois do veto de Bolsonaro ao Fundo Eleitoral de R$ 5,7 bilhões, o Congresso estuda uma forma de incluir na Lei Orçamentária um novo valor: R$ 4 bilhões, mais que o dobro da última eleição presidencial. A área técnica do governo defende R$ 2,2 bilhões. (Globo)

O governo dos Estados Unidos ordenou que seis companhias aéreas forneçam jatos para retirar do Afeganistão cidadãos americanos e afegãos que trabalharam com os EUA durante os vinte anos de ocupação. Além de retirar os civis de Cabul, os 18 aviões vão levar quem já está em bases americanas no Oriente Médio para a Europa e os EUA. (Estadão)

Meio em vídeo. Num primeiro momento, a foto de afegãos num avião militar americano foi indicada como falsa. Não era. Pedro Doria e Cora Rónai abordam o trabalho de checadores de informação e a importância de ter cuidado na apuração da notícia. Confira no YouTube.

Seja assinante premium do Meio. Você será um dos primeiros a receber a newsletter, logo após às 7h. Receberá uma edição extra aos sábados, com sugestões de textos e documentários aprofundados. E terá acesso ao Monitor, o software que usamos para ver as notícias de todos os sites em tempo real. Assine agora mesmo.

Gestão Simples

PIX, Open Banking, conta digital. O setor financeiro está passando por uma revolução impulsionada pela rápida digitalização e o avanço tecnológico também acelerado pela pandemia. Uma pesquisa da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) mostrou que os bancos aumentaram em 48% os investimentos em tecnologia. Mas a tecnologia, no entanto, é apenas um dos pilares que estão ajudando a transformar o setor no país. Entenda o papel da inovação e por que ela é fundamental nessa jornada.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor em setembro do ano passado, mas só neste mês a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) passou a aplicar multas para as empresas que ainda não se adequaram à lei. As penalidades vão desde advertência até multas de 2% do faturamento, que podem chegar a R$ 50 milhões. Um levantamento feito pela RD Station mostra que 93% das companhias dizem conhecer ou pelo menos já ter ouvido falar da LGPD, mas apenas 15% se mostram prontas ou na reta final de preparação. Aqui vão dicas para se adequar à lei de dados. (Mercado & Consumo)

Na pandemia, empresas e profissionais tiveram de se adaptar aos desafios do trabalho remoto. Agora, com o avanço da vacinação, muitas companhias estão considerando a volta aos escritórios, mas existe uma série de desafios e decisões a serem tomadas: como será o novo modelo de trabalho, os espaços dos escritórios, protocolos de limpeza e muito mais. Entenda os desafios para as lideranças no retorno ao presencial. (Fast Company Brasil)

Viver

A aplicação da terceira dose de imunizantes em idosos é “para ontem”, na avaliação do infectologista Julio Croda, da Fiocruz. Segundo ele, já é possível ver um aumento de internações de pessoas nessa faixa etária, mesmo imunizadas duas vezes, devido ao avanço da variante delta, mais contagiosa. O Ministério da Saúde estuda começar a terceira vacinação em setembro e critica estados e municípios que começaram a vacinar adolescentes e crianças. (Poder360)

Por falar nisso… Prevista para começar hoje, a vacinação de adolescentes no Rio de Janeiro foi suspensa até que o município receba doses prometidas pelo Ministério da Saúde. Pessoas de 17 anos ou menos só podem receber a vacina da Pfizer. (Extra)

Além do dilema entre vacinar de novo idosos ou começar com os adolescentes, os médicos estão enfrentando um problema adicional. O crescente número de pessoas internadas que simplesmente se recusaram a tomar a vacina. “É muito desgastante. Essas pessoas prolongam a pandemia”, diz Ana Helena Barbosa da Silva, coordenadora da UTI do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, a maior de Covid-19 do Brasil, no Rio. (Globo)

No domingo, o Brasil registrou 331 mortes por Covid-19, elevando o total a 574.574. A média móvel diária de 765 óbitos foi a menor desde 7 de janeiro, no início da segunda onda. Somente o Rio, epicentro da variante delta, mostrou tendência de alta. (UOL)

Vacina boa é vacina no braço. Quer dizer, menos em Joinville (SC), onde os moradores estão recebendo as injeções nas nádegas. A justificativa seria para não provocar dores nos membros superiores. (Metrópoles)

Os paulistanos e moradores de cidades próximas estão sofrendo com uma chuva de fuligem decorrente de um incêndio florestal no Parque Estadual Juquery, em Franco da Rocha. O fogo foi provocado pela queda de um balão, atividade criminosa que ainda prospera disfarçada de tradição. (UOL)

No Pantanal, os incêndios florestais este ano já atingiram o patamar desta época em 2020, o pior ano da história em termos de queimadas na região. (Folha)

Aliás… O Pantanal concentrou a maior perda de água no país ao longo de 30 anos. Foram 57% dos recursos hídricos perdidos, contra 15,7% de todo o Brasil. Os dados são do Projeto MapBiomas. (Estadão)

Cultura

Carro Rei, da cineasta pernambucana Renata Pinheiro, levou o prêmio de Melhor Filme no Festival de Gramado deste ano. A ficção científica distópica levou ainda Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte e Melhor Desenho de Som, além de um prêmio especial para o ator Matheus Nachtergaele. Ao agradecer, a diretora protestou contra a política de audiovisual do governo federal e lembrou o incêndio no galpão da Cinemateca Brasileira. Confira os demais premiados. (Estadão)

Redescoberto pelas novas gerações após um injusto ostracismo, Belchior continua nos brindando com seu talento mais de quatro anos após sua morte. Como nos conta Lauro Jardim, o pesquisador Renato Ferreira descobriu sete canções inéditas dele no acervo digitalizado do Arquivo Nacional. Das músicas que eram apenas de Belchior, ficaram apenas as letras, pois não há registro das cifras nem de partituras. Mas há outras com parceiros, como Fagner e Fausto Nilo, o que pode ajudar a resgatar as melodias. (Globo)

Morreu no Estados Unidos, aos 84 anos, o cantor Don Everly, que formou ao lado do irmão Phil (1939-2014) o duo The Everly Brothers. Intérpretes de sucessos como Bye-Bye Love (YouTube), Cryin’ In The Rain (YouTube) e Wake Up Little Susie (YouTube), os irmãos foram das mais influentes atrações do soft/country rock que dominou as paradas entre o ocaso dos roqueiros raiz Chuck Berry, Little Richard e Jerry Lee Lewis no fim dos anos 1950 e a Invasão Britânica do início dos 60. (Folha)

Cotidiano Digital

O ataque hacker que derrubou na semana passada o e-commerce da Renner acendeu um alerta para os riscos da cibersegurança no Brasil e uma possível “pandemia” de ransonware. Segundo a ISH Tecnologia, 13 mil empresas são atacadas mensalmente, sendo 57% com ataques do tipo ransomware – que pedem resgate em dinheiro às companhias. Em 2020, os valores cobrados pelos criminosos saltaram 82%, chegando a US$ 570 mil por ocorrência. (Época Negócios)

Ronaldo Lemos: “O problema do ransonware é que ele se transformou em uma operação altamente profissionalizada. Existe até ‘call center’ disponível 24 horas para que a empresa possa tirar dúvidas com os atacantes sobre como pagar o resgate e até barganhar o preço. Para contê-los, são necessárias medidas de várias naturezas que envolvam o setor privado, público, a comunidade científica e, sobretudo, mais cooperação internacional.” (Folha)

E o bilionário Elon Musk anunciou o desenvolvimento de um “robô humanoide” chamado Tesla Bot. O objetivo da tecnologia é eliminar trabalhos perigosos ou maçantes para os humanos, segundo Musk. Para isso, o Tesla Bot vai usar inteligência artificial e câmaras para analisar terrenos e ver obstáculos. Um protótipo inicial deve sair até 2022. Confira outros detalhes. (G1)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.