Ouça agora na Rádio

CPI quer indiciamento de Zero Zero, Zero Dois e Zero Três

Divulgação

Postado em 11/10/2021 por

Compartilhe agora

Além do próprio Jair Bolsonaro, como já foi anunciado pelo relator

Dois dos filhos do presidente, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), devem ter o indiciamento pedido no relatório final da CPI da Pandemia, segundo informação do Painel. Com base em depoimentos encaminhados pela Polícia Federal, o Zero Dois deve ser apontado como articulador da rede de notícias falsas, o chamado “gabinete do ódio”, que também espalhou desinformação sobre a covid-19, enquanto o Zero Três seria a ponte entre a rede e supostos financiadores. Autoridades que espalharam notícias falsas sobre a pandemia, mas apagaram as postagens no início das investigações, como as deputadas Bia Kicis (PSL-DF) e Karla Zambelli (PSL-SP), também devem entrar como passíveis de indiciamento no relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Além do próprio Jair Bolsonaro, como já foi anunciado pelo relator. (Folha)

Aliás… O comando da CPI já tem uma estratégia para o caso de o procurador-geral Augusto Aras ignorar as denúncias contra Bolsonaro e outros no relatório. Como conta Malu Gaspar, a ideia é que a OAB, representando associações de famílias de vítimas da covid-19 entre diretamente com ações no Supremo Tribunal Federal (STF).

Há uma guerra em parte fraticida no Congresso envolvendo a vaga ora aberta no Supremo Tribunal Federal (STF). Com a resistência do presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), em pautar a indicação de André Mendonça, o Centrão se mobiliza para emplacar outro nome: Alexandre Cordeiro de Macedo, o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O problema é que a indicação de Mendonça, ex-advogado-geral da União, é uma bandeira da bancada evangélica, insatisfeita com o perfil progressista do Supremo. Macedo é evangélico, mas não parece engajado à pauta ultraconservadora dos pastores que apoiam Jair Bolsonaro. (Folha)

O presidente, aliás, está muito irritado com Alcolumbre. “Quem pode não querer é o plenário do Senado, não é ele”, afirmou. “Ele pode votar contra. Agora, o que ele está fazendo não se faz, a indicação é minha.” (Metrópoles)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a legalidade de sua empresa num paraíso fiscal. Em evento virtual de um grande banco e falando em inglês, o ministro disse que estavam apenas “fazendo barulho”. “Declarei tudo. É permitido, é legal, não fiz nada de errado. O dinheiro está sob gestores independentes e jurisdições sobre as quais não tenho influência”, afirmou, sem comentar possíveis conflitos de interesses. (UOL)

Guedes comenta a interlocutores, conta Guilherme Amado, que os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo), representantes do Centrão dentro do Palácio do Planalto, estão usando o caso da offshore para enfraquecê-lo. (Metrópoles)

Mas Guedes ganhou um agrado na sexta-feira. O ministro do STF Dias Toffoli arquivou duas notícias contra ele e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, por terem empresas offshore enquanto comandam as políticas econômica e monetária do país. Toffoli disse que a denúncia deveria ser encaminhada à PGR. (g1)

Neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro defendeu seu veto à lei que prevê distribuição gratuita de absorvente a mulheres muito pobres. Segundo ele, o projeto da deputada Marília Arraes (PT-PE) não previa origem dos recursos. “Se o Congresso derrubar o veto do absorvente, vou tirar dinheiro da saúde e da educação. Tem que tirar de algum lugar”, disse, embora o texto faça referência ao custeio. Na sexta-feira, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disse que o veto é “candidatíssimo a cair”. (UOL)

José Casado: “Com a equipe que tem, Jair Bolsonaro não precisa de mais adversários. O caso dos absorventes femininos é exemplar. Damares Alves, ministra da Mulher e da Família, tentou justificar e piorou a situação: ‘A gente tem que decidir, a prioridade é a vacina ou é o absorvente?’ Ela administra um ministério virtual, mas com orçamento anual de R$ 514 milhões — valor dez vezes superior ao custo estimado para distribuição de absorventes femininos no SUS.” (Veja)

Lauro Jardim: “O ex-presidente Lula reclamou com a bancada gaúcha do PT que o governador Eduardo Leite (PSDB) está correndo solto sem que o partido ofereça uma resistência mais aguerrida a ele. Para Lula, é essencial que o PT local faça um compilado dos governos Olívio Dutra e Tarso Genro para comparar aos do PSDB. Nas contas do ex-presidente, os petistas têm mais o que apresentar.” (Globo)

O governador gaúcho usou o Twitter para responder: “Obrigado Lula por estar preocupado comigo. Você tem razão nesse ponto. Estamos crescendo porque vamos unir o Brasil. Pacificaremos o país que dividiram ao insistirem nessa visão de mais destruir do que construir.” (Twitter)

O presidente Jair Bolsonaro voltou ontem a criticar as medidas de segurança contra a covid-19, agora usando o futebol. Passando o feriado no litoral paulista, ele reclamou que não pôde assistir ao jogo entre Santos e Grêmio porque, pelos protocolos da CBF, todo o público precisa ter tomado ao menos uma dose de vacina. “Por que passaporte da vacina? Eu queria ver o jogo do Santos agora e falaram que tinha de estar vacinado. Pra que isso? Eu tenho mais anticorpos do que quem tomou vacina”, reclamou. Em tempo, o Santos venceu o Grêmio por 1 a 0. (Estadão)

Enquanto isso… Bolsonaro ultrapassou um milhão de inscritos em seu canal no Telegram. O aplicativo russo, semelhante ao Whatsapp, se tornou refúgio da extrema-direita por não ter mecanismos de controle de disparos de mensagens em massa nem fiscalização contra notícias falsas e discurso de ódio. (Poder360)

O Nobel de Ciências Econômicas de 2021, anunciado há pouco pela Real Academia Sueca de Ciências, foi para o americano David Card, por suas contribuições em estudos sobre economia do trabalho. Angrist e Guido W. Imbens também receberam o prêmio deste ano pelo desenvolvimento de metodologias para a análise das relações causais (ou causa-efeito).

E não perca hoje, às 19h, a reestreia de Grupo de Risco, com nosso Tony de Marco e os parceiros Spacca, Orlando e Marcelo Martinez.

Com a assinatura básica do Meio, você já tem o noticiário essencial do dia a dia. A assinatura Premium é para quem leva se informar a sério. Nas edições diárias, uma exclusiva editoria de economia. Aos sábados, aprofundamos nos temas da semana, com contexto e história. E, ao longo do dia, o Monitor, nossa ferramenta de curadoria, reúne num só ponto o jornalismo dos principais veículos. Assine. Informação é sempre um bom investimento.

Viver

E assim se perderam 600 mil vidas para a covid-19. A marca, como apontavam as projeções, foi rompida na manhã de sexta-feira. O total agora é de 601.047 mortos, contando os 167 óbitos registrados neste domingo, lembrando que os números nos fins de semana tendem a ser subdimensionado por baixas notificações. A média móvel de mortes em sete dias foi de 437, a menor desde 13 de novembro. (g1)

Na mesma sexta-feira manifestantes penduraram 600 lenços brancos na Praia de Copacabana, representando cada um mil vítimas da pandemia. (CNN Brasil)

Já o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, preferiu relativizar o número de vítimas comparando-o ao de doenças não epidêmicas. “Em primeiro lugar, só de doença do coração são 380 mil (mortes) todos os anos. Se contar no mesmo período, nós teríamos também cifras alarmantes” disse em entrevista. (g1)

Especialistas apontam os erros cometidos para que o Brasil atingisse esse número pavoroso. (Correio Braziliense)

Enquanto isso… Entre julho e setembro, 74% das pessoas internadas por covid-19 no país não tinham completado a imunização contra a doença. Dentre eles, 46,2% não haviam tomado sequer uma dose. (Metrópoles)

O ministro da Ciência e Tecnologia Marcos Pontes usou o Twitter para reclamar do corte de R$ 600 milhões do orçamento do fundo de pesquisa de sua pasta, quase 90% do previsto. Pontes escreveu que o corte foi “uma falta de consideração” e acrescentou: “Isso precisa ser corrigido urgentemente.” O corte, que atinge em especial o pagamento de bolsas de pesquisa e o Edital Universal do CNPq, foi aprovado pelo Congresso a pedido do Ministério da Economia, que pretende redistribuir o dinheiro em outras áreas. Entidades ligadas à pesquisa científica criticaram duramente o corte. (g1)

Imagens em alta resolução do solo marciano enviadas pelo veículo robô Perseverance trazem mais sinais de que pode ter existido vida no Planeta Vermelho. As fotos indicam que, há 3,6 bilhões de anos, a cratera Jazero, onde o veículo pousou, era um lago alimentado por um rio. Para os cientistas, é o ambiente ideal para achar restos de material orgânico. (UOL)

Cultura

Rios flutuantes de nuvens refletidos nos rios líquidos abaixo; a expressividade do olhar de povos que preservam as tradições e o modo de vida de seus ancestrais há séculos e séculos; picos e escarpas que surgem inesperadamente da floresta como ilhas num oceano verde. Só que nesse caso os infinitos tons de verdes são preto, branco e cinza nas fotos de Sebastião Salgado. Exposta simultaneamente em Paris, Roma e Londres, a mostra Amazônia do fotógrafo mineiro revela a força da floresta que ainda não sucumbiu ao garimpo, à extração de madeira e à agropecuária predatória. Confira algumas das imagens. (Globo)

Morreu de covid-19 em Belo Horizonte, aos 70 anos, Ernani Diniz Lucas, ou mais simplesmente, Nani, criador, entre uma infinidade de trabalhos, da tirinha Vereda Tropical. Mineiro de Esmeraldas, começou a carreira em Belo Horizonte e mudou-se para o Rio em 1973. Como era obrigatório para os artistas talentosos de sua geração, integrou o Pasquim, além de publicar suas charges em jornais como Última HoraGloboJornal dos Sports e outros. Desde os anos 1980 fazia na tirinha Vereda Tropical uma crítica ferina do Brasil. Mas seu talento não terminava na prancheta. Foi um grande roteirista de humor, responsável por vários bordões da Escolinha do Professor Raimundo e de quadros em programas como Chico TotalCasseta & PlanetaSai de Baixo e Zorra, todos da TV Globo. (g1)

Nani nos deixou, mas seu trabalho segue vivo em sua página oficial.

Cotidiano Digital

A Apple entrou com um recurso de apelação no processo judicial envolvendo a Epic Games. A gigante de tecnologia pediu uma suspensão da liminar que permite aos desenvolvedores adicionar links dentro do aplicativo para sites de pagamento que não sejam da Apple. Se a suspensão for aceita, uma mudança de regra que permite aos desenvolvedores contornar as taxas da App Store de 15% a 30% pode não entrar em vigor até que os recursos do caso sejam concluídos. (CNBC)

Briga de gigantes. A Epic Games, desenvolvedora do Fortnite, luta contra as comissões cobradas pela gigante da maçã. Isso porque a Apple recebe 30% de todas as transações feitas em aplicativos alocados na loja da companhia, a App Store, prática vista como abusiva pela Epic Games. (Olhar Digital)

A empresa de voos espaciais de Jeff Bezos, a Blue Origin, adiou o voo que estava programado para levar o ator canadense William Shatner, o ‘capitão Kirk’ de Star Trek, ao espaço. A viagem aconteceria no dia 12 de outubro, mas foi agendada para a próxima quarta-feira, 13, devido à previsão de ventos fortes no local de lançamento. Shatner ocupará um assento no segundo voo do New Shepard ao lado de outros três amadores e passará quatro minutos de peso zero, em um ponto de microgravidade. Aos 90 anos, o ator será a pessoa mais velha a viajar para o espaço, quebrando o recorde de Wally Funk, de 82 anos. (The Verge)

Meio em vídeo. Pedro Doria e Cora Rónai discutem os desdobramentos da crise no Facebook, após o apagão e o depoimento bomba da ex-funcionária Frances Haugen no Congresso americano. Confira. (YouTube)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.