Ouça agora na Rádio

CPI quer força-tarefa para manter pressão sobre Aras

Divulgação

Postado em 28/10/2021 por

Compartilhe agora

A Frente Parlamentar Observatório da Pandemia de Covid-19, nome formal da força-tarefa, deverá ter a criação pedida pelo presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM)

O relatório CPI da Pandemia foi entregue ontem ao procurador-geral da República, Augusto Aras, em meio a uma troca de elogios, mas os senadores estão longe de considerar encerrado seu trabalho. Eles pretendem criar um observatório, uma força-tarefa que mantenha a pressão para que Aras não arquive ou deixe em banho-maria as investigações e, paralelamente, acompanhe o andamento dos 17 projetos de lei sugeridos no relatório. A Frente Parlamentar Observatório da Pandemia de Covid-19, nome formal da força-tarefa, deverá ter a criação pedida pelo presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM). (Folha)

Aras recebeu o relatório pela manhã e soltou uma nota dizendo que a “CPI já produziu resultados” e que o material apresentado permitirá “avançar na apuração” de acusações contra políticos com foro privilegiado. Horas depois do encontro, Omar Aziz cobrou ação do procurador-geral: “Esperamos, como eu disse ao Dr. Aras, que ele tenha compromisso com a nação: 600 mil vidas não podem ser engavetadas.” Aliás, só o presidente Jair Bolsonaro já é alvo de 92 “investigações preliminares” da PGR, sem qualquer resultado. (Globo)

E por falar em Bolsonaro… Ele ingressou ontem no Supremo Tribunal Federal (STF) com um mandado de segurança contra a quebra de seus sigilos nas redes sociais pedida pela CPI. A Advocacia-Geral da União, que o representa, diz que uma CPI não tem o poder de quebrar os sigilos do presidente. O mandado já tem relator, Alexandre Moraes, que chegou a ter seu impeachment pedido ao Senado pelo presidente. (CNN Brasil)

Quem também reclamou, e muito, foi o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que teve “grande indignação” com o pedido de indiciamento de seis deputados, entre eles o filho Zero Três, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “É inaceitável a proposta de indiciamento dos deputados desta casa no relatório daquela comissão instituída com a finalidade de apurar as ações e omissões do governo federal”, disse. Assim como Bolsonaro, as investigações sobre deputados ficam à cargo da PGR. (g1)

Nos bastidores, os ministros do STF avaliam como pequena a chance de Bolsonaro vir a ser condenado pelos crimes que lhe são atribuídos no relatório da CPI, revela Carolina Brígido. Eles consideram que o relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL) é fraco, sem elementos suficientes para punição. Segundo um dos ministros, crime com indícios mais consistentes é o de omissão na compra de vacinas, mas seria necessário demonstrar que o Brasil ficou muito atrasado na imunização, em comparação com outros países. (UOL)

A vantagem do ex-presidente Lula (PT) sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) num eventual segundo turno caiu 10 pontos em dois meses, segundo pesquisa do PoderData. Hoje o petista venceria por 52% a 37%, enquanto há 60 dias os números eram 55% a 30%. Na projeção de primeiro turno, Lula lideraria com 35%, seguido de Bolsonaro com 28%. Em terceiro aparece o ex-ministro Sérgio Moro (sem partido), aumentando a fragmentação da chamada terceira via. O PoderData também avaliou o desempenho dos dois postulantes tucanos contra Lula num segundo turno. Eduardo Leite perderia por 48% a 18% e Doria por 51% a 16%. Os confrontos, porém, parecem improváveis. Na simulação do primeiro turno, Doria tem 4% e Leite 3%. (Poder360)

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, mandou retirar provisoriamente da lista de filiados aptos a votar nas prévias do partido os nomes de 92 prefeitos e vices paulistas por suspeita de fraude na data de filiação e determinou análise caso a caso. A decisão terá de ser confirmada hoje pela Executiva Nacional. Aliados do governador gaúcho Eduardo Leite acusam o diretório paulista de fraudar as filiações em busca de votos para o governador João Doria nas prévias. Há pelo menos dois casos comprovados de prefeitos que se filiaram depois da data-limite de 31 de maio, mas cujas fichas foram enviadas ao TSE com datas anteriores. (Globo)

Mais cedo, Doria criticou Leite, sem citá-lo diretamente, por conta dessas denúncias. “Por que ter medo do voto? Em vez de ficar reclamando, chorando, acusando, estamos trabalhando. Prefiro assim”, disse o governador de São Paulo. (Folha)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), assinou ontem a tão esperada ficha de filiação ao PSD de Gilberto Kassab, que passa a ter a segunda maior bancada do Senado, com 12 parlamentares. Embora tenha feito um discurso de campanha, criticando duramente a economia do país, Pacheco evitou falar numa eventual candidatura ao Planalto. “Tudo tem seu tempo”, disse. (g1)

Terminou em confusão entrevista ao vivo de Jair Bolsonaro para o Pânico, na estreia da TV Jovem Pan ontem. Entre os entrevistadores estava o humorista André Marinho, filho do empresário Paulo Marinho, ex-aliado do presidente. Falando de esquemas de rachadinhas no Rio, André perguntou se Bolsonaro achava que “‘rachador’ tinha que ir para a cadeia”. “Ô Marinho, você sabe que eu sou presidente da República. Então, não vou aceitar provocação tua. O teu pai quer a cadeira do Flávio Bolsonaro”, reagiu o presidente, dizendo que não responderia mais a Marinho. Este emendou “só vai responder a bajulador?”, iniciando um bate-boca com seu colega de bancada, o bolsonarista Adrilles Jorge. No meio da confusão, Bolsonaro abandonou a entrevista. (Metrópoles)

Mais tarde, Paulo Marinho, que é suplente do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), publicou um vídeo defendendo o filho. “Quem quer o mandato do Flávio é o Ministério Público, capitão”, disse o empresário, que ainda fez referências cifradas ao ex-ministro Gustavo Bebianno, que também rompeu com Bolsonaro e morreu no ano passado. (Instagram)

A assinatura básica do Meio dá o essencial que você precisa saber naquele dia. A assinatura premium é para quem leva se informar a sério. Aos sábados, nos aprofundamos nos temas importantes do momento. Para acompanhar as notícias de forma prática durante o dia o Monitor, a ferramenta que usamos cá, para ajudar em nossa curadoria. Assine, informação é sempre um bom investimento.

Tech no próximo nível

A conectividade do 5G pode afetar não somente as empresas, mas também toda a sociedade. Segundo um estudo do Fórum Econômico Mundial, a tecnologia pode gerar 22,8 milhões de empregos até 2035. Entre os aspectos positivos estão a contribuição para a boa saúde e bem-estar com a melhora da infraestrutura, a promoção de indústrias sustentáveis e o fomento à inovação. No setor produtivo, o agronegócio é uma das áreas mais promissoras com o progresso da tecnologia. Entenda os impactos do 5G na transformação digital das indústrias.

Marcado para 4 de novembro, o leilão do 5G no Brasil pode levantar até R$ 3 bilhões para o Tesouro Nacional, disse ontem superintendente de competição da Anatel, Abraão Balbino. Quinze empresas apresentaram documentação de credenciamento para participar. Considerando os valores dos lotes de frequência definidos no edital, o governo pode arrecadar até US$ 10 bilhões no total, nos quais US$ 7 bi serão destinados à implantação de internet em escolas públicas no Brasil. O restante iria para o Tesouro, segundo o superintendente. (Forbes Brasil)

Meio em vídeo. A nuvem hoje não está mais só atrelada ao armazenamento de dados. Para o comércio, a nuvem pode criar todo um sistema que permite facilitar os negócios. Você sabia da possibilidade de você usar o rosto das pessoas no lugar das senhas? Mas será que o seu serviço de nuvem permite isso? Confira no Meio Digital. (YouTube)

Viver

A Pfizer anunciou ontem que vai pedir à Anvisa no próximo mês a liberação de sua vacina para aplicação em crianças de cinco a 11 anos. No momento, esse imunizante já é o único autorizado no país para adolescentes entre 12 e 17 anos. (UOL)

Enquanto isso… O governador do Rio, Cláudio Castro, sancionou a lei que permite a prefeitos flexibilizarem o uso de máscaras. Na capital, o uso em locais abertos já está suspenso a partir de hoje. (Extra)

Nesta quarta-feira o Brasil registrou 433 mortes por covid-19, perfazendo 606.726 vítimas desde o início da pandemia. Com 346 óbitos, a média móvel em sete dias teve seu 16º dia abaixo de 400 e o terceiro com tendência de estabilidade. (g1)

O Minas Tênis Clube anunciou ontem a demissão do capitão de sua equipe de vôlei, Maurício Souza, em decorrência de uma publicação homofóbica em redes sociais. Ele já havia sido suspenso da equipe e multado por pressão de patrocinadores. Ele se retratou, mas, marotamente, publicou as desculpas para 100 pessoas no Twitter, enquanto a postagem original no Instagram atingiu quase 300 mil seguidores. E ontem Maurício publicou um vídeo se desculpando “por defender aquilo em que acredita”. Foi a gota d’água. (Globo Esporte)

Não foi só isso. Renan Dal Zotto, técnico da seleção masculina de vôlei, cortou Maurício da equipe, dizendo que no grupo não há “espaço para profissionais homofóbicos”. (Globo)

A Copa do Brasil 2021 vai, com certeza, para um Atlético. O Mineiro garantiu a vaga na final ao vencer o Fortaleza por 2 x 1. Já o Paranaense atropelou o Flamengo e fez 3 x 0 em pleno Maracanã. (Globo Esporte)

Panelinha no Meio. Tudo o que não queremos nesse momento é que as coisas acabem em pizza. Por isso a receita hoje o calzone, uma pizza ao contrário, em que cobertura vira recheio. Nesse caso, o calzone de queijo com tomate, mas massa é mesma para o que sua criatividade sugerir para rechear.

Cultura

Ao aparecer na tela do cinema, o título do filme Duna (trailer no YouTube), de Denis Villeneuve, vem acompanhado de “Parte 1”, o que não é de se estranhar, já que o livro de Frank Herbert é extenso e complexo demais para só um filme. Esta semana, a Legendary e a Warner Bros. Confirmaram a “Parte 2” e anunciaram a data de lançamento, 20 de outubro de 2023. (Estadão)

Já que estamos falando de cinema, as estreias de hoje trazem títulos para todos os gostos, dos dramas Uma História de Família (trailer), do mestre Werner Herzog, e De Volta à Itália (trailer) ao terror Espíritos Obscuros (trailer). Mas a principal atração é para a criançada: a animação A Família Addams 2: Pé na Estrada (trailer), sequência do sucesso de 2019. Confira a programação completa em sua cidade. (Adoro Cinema)

Morreu ontem em Salvador, aos 61 anos, o maestro Letieres Leite, arranjador que trabalhou com Maria Bethânia, Ivete Sangalo e Caetano Veloso, entre outros artistas. Leite também fundou Orkestra Rumpilezz, que fundia a tradicional percussão baiana ao jazz. (Folha)

Cotidiano Digital

Pois é… A Apple e a Samsung foram notificadas novamente pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por não justificarem a venda de celulares sem carregador na caixa. As marcas foram notificadas ontem e têm até 15 dias para responderem. As empresas já haviam sido acionadas pelo órgão no ano passado. Na ocasião, elas alegaram a falta dos carregadores nas embalagens para uma maior durabilidade dos smartphones. Outra justificativa seria que a iniciativa poderia estimular o consumo consciente. (g1)

A Apple também foi processada na China por conta desta prática. E a Comissão Europeia quer exigir carregador universal para eletrônicos. (TecMundo)

E a figurinha para compartilhamento de links no Stories do Instagram, que substituiu o famoso “arrasta para cima”, não é mais exclusividade de quem tem milhares de seguidores. A rede social anunciou ontem que vai disponibilizar o recurso para todos os usuários. Veja passo a passo para usar a nova função. (g1)

“Facebook Papers”. Com o lançamento das reações para usuários em publicações do Facebook há cinco anos, a companhia passou a programar o algoritmo de seus feeds de notícias para empurrar conteúdos mais provocadores, incluindo publicações que poderiam deixar as pessoas irritadas. Desde 2017, o algoritmo de classificação do Facebook trata a reação de “grr” como cinco vezes mais relevante do que “curtidas”. Ou seja: quanto mais reações, mais engajamento na publicação – e mais dinheiro para a plataforma. Desde então, postagens que provocam raiva viraram terreno fértil para propagação de informações falsas, toxicidade e informações duvidosas. Entenda. (NBC News)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.