Ouça agora na Rádio

Após prévias, Doria ouve ‘não’ de Leite e pede encontro com Moro

Divulgação

Postado em 29/11/2021 por

Compartilhe agora

Paralelamente, ainda na noite de sábado Doria conversou com presidentes e líderes de outros partidos de centro pregando a união contra o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

João Doria, governador de São Paulo, foi o grande vencedor da prévias do PSDB, concluídas finalmente no último sábado. Ele teve 53,99% dos votos, contra 44,66% do governador gaúcho Eduardo Leite e 1,35% do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. Agora pré-candidato de fato e de direito, Doria começou o trabalho de aparar arestas, mas já recebeu a primeira porta na cara. Convidado a integrar o comando da campanha do vencedor, Leite respondeu que não. “Imagino que o governador Doria busque alguém afinado com sua forma de pensar e fazer política, para além de uma visão meramente partidária”, disse o gaúcho. Paralelamente, ainda na noite de sábado Doria conversou com presidentes e líderes de outros partidos de centro pregando a união contra o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).  Adversário de Doria no campo da terceira via, o ex-ministro Sérgio Moro (Podemos) telefonou para o governador e o felicitou pela vitória. O paulista aproveitou para propor um encontro entre eles. (Folha)

Um dos alvos de Doria nessa busca por alianças é o MDB. Neste domingo, ele disse que vai manter a promessa de ter uma mulher como companheira de chapa e rasgou elogios à senadora Simone Tebet (MDB-MS), lançada pré-candidata pelo partido na semana passada. (Poder360)

Doria tentou sem sucesso fazer as pazes com Leite e busca atrair outros partidos, mas há gente no PSDB com quem ele não quer nem conversa. Mais especificamente o deputado Aécio Neves (MG) e o ex-governador paulista Geraldo Alckmin. Este está de malas prontas e deve migrar para o PSD, mas o parlamentar mineiro tem grande influência na ala bolsonarista dos tucanos na Câmara. Doria já defendeu mais de uma vez a expulsão de Aécio do partido. (Estadão)

Enquanto isso… As suspeitas de ataque hacker ao aplicativo de votação do PSDB foram reforçadas pela notícia de que houve no sábado ao menos 26 mil tentativas de acesso vindas do exterior. Como medida de segurança, a votação foi bloqueada para quem estava fora do país. (g1)

A filiação do presidente Jair Bolsonaro e de seu grupo político ao PL não envolve só alianças regionais. O presidente do partido, Valdemar Costa Neto, se comprometeu com a reeleição de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara em 2023. A expectativa é que, mesmo que Bolsonaro não se reeleja, o PL, hoje quarta força na Casa e segundo maior partido do Centrão, forme uma bancada expressiva. O acordo envolveria ainda um nome do PL sucedendo Lira em 2025. (Folha)

Coluna do Estadão: “É grande a expectativa no mercado e no mundo político em relação à rodada de pesquisas programadas para este final de ano. Se Sérgio Moro confirmar o viés de alta, Jair Bolsonaro terá necessariamente que voltar a crescer, alertam governistas. Para eles, o pior cenário para o presidente seria terminar 2021 em quase empate técnico com Moro.” (Estadão)

Bernardo Mello Franco: “O capitão avisou: só vai aos debates em 2022 se os adversários aceitarem suas condições. ‘É para falar sobre o meu mandato. Até a minha vida particular, fique à vontade. Mas que não entre em coisas de família, de amigos, porque vai ser algo que não vai levar a lugar nenhum’, disse. Não existe debate sério com assuntos proibidos. Ao impor suas exigências, Bolsonaro busca um pretexto para se esconder dos oponentes.” (Globo)

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou para a próxima quarta-feira a sabatina do ex-advogado-geral da União André Mendonça, indicado em julho por Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Alcolumbre também nomeou a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) relatora da indicação. Evangélica como Mendonça, ela promete um relatório sobre aspectos técnicos sem entrar em assuntos religiosos, apesar de Bolsonaro ter prometido a aliados a nomeação de um ministro “terrivelmente evangélico”. (CNN Brasil)

Divulgadas ontem, duas pesquisas de intenção de votos no segundo turno das eleições chilenas dão vantagem para o deputado esquerdista Gabriel Boric sobre o empresário de extrema-direita José Antonio Kast, mas com números divergentes. A Activa/Pulso Ciudadano traz Boric com 62%, contra 38% de Kast. Já na Black&White, a vantagem é de 52% a 48%, o que configura empate técnico. O segundo turno acontece no dia 19, e o voto no Chile não é obrigatório. (Poder360)

Economia não é só a cotação do dólar. Quem é assinante Premium do Meio lê, todos os dias, uma editoria exclusiva de economia e fica sabendo quais são os temas quentes do momento. Assine o Premium e descubra que economia não é um bicho de sete cabeças.

Viver

A Anvisa confirmou ontem que está acompanhando o caso de um brasileiro que testou positivo para covid-19 após voltar da África do Sul no último sábado. Ainda não há confirmação se ele foi contaminado pela variante ômicron, identificada pelas autoridades sanitárias sul-africanas e que já chegou a outros países da África, à Europa e ao Oriente Médio. Também no sábado o governo brasileiro proibiu a entrada de pessoas vindas de seis países africanos: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. (Poder360)

Pois é… A Organização Mundial da Saúde classificou a ômicron como “variante de preocupação”, por conta da grande quantidade de mutações. A médica sul-africana Angelique Coetzee, que fez o primeiro alerta sobre a possibilidade de uma nova cepa, disse que atendeu somente pacientes com sintomas leves, mas incomuns, como taquicardia. Embora os gráficos sobre a evolução da ômicron mostrem que ela se espalha até quatro vezes mais rapidamente que a delta, especialistas lembram que os dados se referem somente à África do Sul, que vacinou completamente apenas 24% de sua população até agora. (g1)

A chegada da variante à Europa, que já enfrentava uma nova onda da covid-19, fez aumentar a demanda por mais restrições. O premiê britânico Boris Johnson convocou uma reunião dos ministros da Saúde do G7 (EUA, Canadá, Alemanha, França, Itália, Japão e Reino Unido) para discutir os riscos da nova cepa. (UOL)

Após uma abstenção de 26% no primeiro dia de exame, estudantes de todo o Brasil fizeram ontem a segunda prova do Enem. O teste de ciências da natureza e matemática teve questões que abordaram o rompimento de uma barragem da Vale em Mariana (MG), carros elétricos, a tabela da Copa do Brasil e a dengue. A pandemia de covid-19 passou ao largo do exame, mas, segundo especialistas, o motivo é a falta de atualização no banco de questões do Enem. O gabarito oficial deve ser divulgado pelo Inep na quarta-feira, e ainda não há data prevista para o resultado. (UOL)

Enquanto isso… O Inep decidiu que os candidatos que não puderam fazer a primeira prova no dia 21 devido a uma violenta operação policial na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ), podem pedir a reaplicação do exame. (g1)

A Polícia Federal fez no sábado uma operação contra garimpeiros que extraem ouro ilegalmente no Rio Madeira, no Amazonas. Pelo menos 20 balsas foram apreendidas e outras incendiadas pelos policiais. A ação das autoridades, porém, está longe de acabar com o garimpo ilegal no rio. Centenas de balsas que ocupavam um trecho do Madeira se dispersaram durante a semana para fugir da repressão. (Metrópoles)

O Palmeiras conquistou sua terceira Libertadores, a segunda consecutiva, ao vencer no sábado o Flamengo na prorrogação por 2 a 1 no Estádio Centenário, em Montevidéu. Com o título, o clube paulista se qualificou para disputar, em fevereiro do ano que vem, o Mundial de Clubes, nos Emirados Árabes Unidos. (UOL)

Morreu de câncer no sábado, aos 83 anos, o arquiteto Ruy Ohtake, cujas obras marcaram a paisagem de São Paulo. Filho da artista plástica Tomie Ohtake, Ruy projetou, entre outros, o Hotel Unique, o instituto que leva o nome de sua mãe e a embaixada brasileira em Tóquio. (g1)

Luto também no esporte. Morreu ontem, aos 79 anos, Frank Williams, fundador da equipe de Fórmula 1 que leva seu nome. A causa não foi divulgada. Cinco pilotos brasileiros dirigiram seus carros, incluindo Nelson Piquet, campeão em 1987, e Ayrton Senna, que pilotava uma Williams no acidente que o matou em 1994. (Globo Esporte)

Cultura

“I like to be in America.” Até quem detesta musicais ou nunca ouviu falar da peça West Side Story (1957) ou do filme homônimo de 1961 reconhece o primeiro verso da canção America (YouTube). É um tributo ao gênio do letrista e compositor americano Stephen Sondheim, que morreu na última sexta, aos 91 anos. A revolução que provocou no teatro (e, por tabela, no cinema) musical americano não se limitou à adaptação para a Nova York do fim dos anos 1950 de Romeu e Julieta, feita em pareceria com outro gigante, Leonard Bernstein (1918-1990). Em 1979, Sondheim levou à Broadway Sweeney Todd, a história de um barbeiro assassino na Londres vitoriana, mostrando que não havia temas sensíveis demais para sua criatividade. Pode não ter sido o autor de musicais mais popular, mas foi o mais reconhecido: oito prêmios Tony, o mais importante do teatro americano, oito Grammys, um Pulitzer e até um Oscar, pela canção Sooner or Later (YouTube), interpretada por Madonna em Dick Tracy (1991). (Folha)

Para ler com calma: “Estou velho demais para viajar muito, lamento dizer. O que mais deveria fazer com meu tempo além de escrever?”, indagou Sondheim em sua última entrevista, apenas cinco dias antes de morrer. E ele falava sério. Estava trabalhando em Square One, uma adaptação para os palcos de dois filmes do espanhol Luis Buñuel (1900-1983), O Anjo Exterminador (1962) e O Discreto Charme da Burguesia (1972). (New York Times)

Aliás… Estreia no próximo dia 9 a refilmagem dirigida por Stephen Spielberg de West Side Story (trailer). A americana de ascendência colombiana Rachel Zegler vive a protagonista porto-riquenha Maria, interpretada pela eslava Natalie Wood (1938-1981) na versão original. E a porto-riquenha de verdade Rita Moreno, que ganhou o Oscar de Atriz Coadjuvante em 1961 como Anita, a melhor amiga de Maria, agora, aos 89 anos, é Valentina, dona da loja da esquina e distribuidora de bons conselhos.

Mesmo sem jamais ter cogitado deixar sua Cuba natal, o escritor Leonardo Padura tem no exílio e na perda da identidade o tema de seu mais recente livro, Como Poeira ao Vento, sobre um grupo de amigos que experimenta cada um a seu jeito a vida fora do país. Embora admita que, se não tivesse editores fora de Cuba, boa parte de seu trabalho jamais seria escrita, ele diz que a sociedade cubana mudou muito com a revolução tecnológica e que a necessidade de liberdade está em jogo no país, além de criticar duramente o embargo imposto pelos EUA a Cuba desde 1961. (Globo)

Mônica Bergamo: “A editora Todavia vai lançar em 2022 a tradução dos dois únicos romances do músico Leonard Cohen, morto em novembro de 2016. The Favourite Game (1963), que narra a vida de um jovem canadense que se muda para Nova York, já foi publicado no Brasil, mas é a primeira vez que Beautiful Losers (1966) ganha uma versão em português.” (Folha)

Cotidiano Digital

Paris vai começar a testar táxis aéreos elétricos para as Olimpíadas de 2024. O objetivo é criar rotas de voos para passageiros durante os jogos. O país inaugurou na semana passada um novo local de testes de mobilidade aérea em um campo de aviação a alguns quilômetros a noroeste de Paris. A primeira rota olímpica deve transportar passageiros entre aeroportos, e a segunda ligaria dois subúrbios parisienses. (Olhar Digital)

Ming-Chi Kuo, analista da Apple, disse que a gigante de tecnologia tem planos internos para substituir os iPhones por óculos de realidade aumentada nos próximos 10 anos. A avaliação de Kuo foi divulgada em uma nota oficial na semana passada com algumas de suas previsões para o futuro dos produtos da marca. A Apple já revelou recentemente que tem planos para investir na tecnologia AR no futuro e anunciou seu primeiro headset de realidade aumentada na semana passada. (Canaltech)

Meio em vídeo. Cora Rónai está de burca para se penitenciar por ter errado o nome do laboratório da Motorola e aproveita para falar do véu islâmico. (YouTube)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.