Ouça agora na Rádio

Variante ômicron já está no Brasil

Divulgação

Postado em 01/12/2021 por

Compartilhe agora

O homem chegou em São Paulo vindo do país africano no dia 23 de novembro, antes da notificação mundial sobre a variante

A Anvisa confirmou ontem os dois primeiros casos no Brasil da variante ômicron do coronavírus. A nova cepa foi identificada na semana passada por autoridades sanitárias da África do Sul. Os pacientes são um casal de missionários religiosos que não se vacinou. O homem chegou em São Paulo vindo do país africano no dia 23 de novembro, antes da notificação mundial sobre a variante, e apresentou um teste negativo. Mas, quando ele e a mulher tentaram voltar para a África do Sul, fizeram novos exames que deram positivo. Análises feitas no Hospital Albert Einstein e no Instituto Adolfo Lutz confirmaram se tratar da ômicron. O casal está isolado em casa e apresenta até o momento sintomas leves da doença. (Metrópoles)

Já são seis os casos suspeitos da ômicron no país, além dos dois confirmados: um  também em São Paulo, um em Belo Horizonte e quatro no Distrito Federal. (CNN Brasil)

Após uma reunião com a Anvisa, o Ministério da Casa Civil disse ontem que vai esperar “mais esclarecimentos” antes de tomar novas medidas contra a ômicron, como restrições mais rígidas à entrada de estrangeiros, em particular de países africanos. (Globo)

A Universidade de Oxford, parceira da AstraZeneca no desenvolvimento de uma das vacinas contra covid-19 mais usadas no Brasil, disse ontem não haver ainda qualquer indício de que os atuais imunizantes não ofereçam proteção contra a ômicron. Ainda assim, ressaltou, as duas instituições estão prontas para atualizar rapidamente sua vacina. (g1)

Pois é… Lembram da Prevent Senior? Pois é. A empresa de seguro de saúde assinou um acordo com o Ministério Público em que admitiu que os dados sobre a suposta eficácia de seu “kit covid” “não correspondiam efetivamente a uma pesquisa científica”.. (UOL)

A necessária ação da Polícia Federal e das Forças Armadas contra garimpeiros que extraem ouro em áreas proibidas no Rio Madeira, no Amazonas, expôs uma realidade preocupante. Comunidades da região têm suas economias atreladas à atividade ilegal. Moradores defendem os garimpeiros e desdenham do risco da mineração no rio, como a contaminação por mercúrio. No município de Humaitá, a prefeitura falou em indenizar os garimpeiros que tiveram as balsas queimadas. (Estadão)

Enquanto isso… A PF fez uma operação que parece saída dos livros de História: a apreensão de pau-brasil extraído ilegalmente em reservas ambientais no Sul da Bahia. A espécie, considerada em risco de extinção, tem a madeira muito procurada para a fabricação de instrumentos musicais, como violinos. (Veja)

A assinatura básica do Meio dá o essencial que você precisa saber naquele dia. A assinatura premium é para quem leva se informar a sério. Aos sábados, nos aprofundamos nos temas importantes do momento. Para acompanhar as notícias de forma prática durante o dia o Monitor, a ferramenta que usamos cá, para ajudar em nossa curadoria. Assine, informação é sempre um bom investimento.

Transforme a experiência do seu time

A tendência do home office que cresceu no ano passado devido à pandemia continua em alta no Brasil. Segundo uma pesquisa da Faculdade Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e da Fundação Instituto de Administração (FIA), 78% dos profissionais desejam manter a rotina do trabalho remoto após a pandemia. Entretanto, boa parte das organizações não têm políticas internas estabelecidas para essa modalidade de trabalho. Diante desse cenário, o desafio das empresas e gestores é oferecer todo o suporte necessário para garantir o engajamento da equipe. Saiba como começar.

Alguns modelos de trabalho que existiam no pré-pandemia já não são mais adequados para lidar com os novos desafios do mundo corporativo. Com isso, a área de recursos humanos, ao lado dos departamentos de tecnologia e marketing, será responsável por agregar valor às empresas. É o que defende o estudo “How to prepare for the future of work” (Como se preparar para o futuro do trabalho), feito pela consultoria Boston Consulting Group (BCG). Confira alguns passos para a estratégia de gestão de pessoas no pós-pandemia. (Valor)

A gerência de nível médio sempre foi uma posição difícil. Mas jovens profissionais que estão ocupando esses cargos hoje em dia enfrentam um conjunto de circunstâncias específicas que favorecem o estresse e o burnout. Entenda. (BBC News Brasil)

Política

O presidente Jair Bolsonaro já não está mais sem partido. Na manhã de ontem ele assinou sua ficha de filiação ao PL, sua nona legenda em três décadas de política. O filho Zero Um, o senador Eduardo Bolsonaro (RJ), e o ministro da Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho também se filiaram. A cerimônia contou com a participação do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, de oito ministros, deputados da base bolsonarista e convidados, entre eles o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Bolsonaro aproveitou o discurso para afagar o aliado e o Centrão. “Eu vim do PP. E confesso, prezado Valdemar, a decisão não foi fácil. Pode ter certeza que nenhum partido será esquecido por nós”, afirmou. O presidente foi cuidadoso ao não falar de candidatura ou pedir votos, o que é proibido nesse momento pela Lei Eleitoral, mas fez um típico discurso de campanha, dizendo que vê pelo Brasil “o verde e amarelo no lugar do vermelho”. (g1)

Se o discurso de Bolsonaro foi conciliador (com o Centrão), coube ao Zero Um partir para cima dos adversários do pai. Sem citar nomes, Flávio Bolsonaro atacou Sérgio Moro (Podemos), dizendo que “a política pode até perdoar a traição, mas não perdoa o traidor”. Sobre Lula, o senador ironizou: “Querem nos fazer crer que um ex-presidiário, preso por roubar o povo brasileiro, está na frente de Bolsonaro nas pesquisas.” (Poder360)

Então… Essa referência a “ex-presidiário” provocou um certo constrangimento, conta Gerson Camarotti. Flávio discursava ao lado de Valdemar Costa Neto, que chegou a ser preso por envolvimento no mensalão do PT. “Quem entra em casa nova precisa respeitar o anfitrião”, reclamou nos bastidores um dirigente do PL. (g1)

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a decisão que garantiu foro privilegiado ao senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) na investigação das chamadas rachadinhas quando era deputado estadual. Por três votos a um, os ministros concluíram que o caso não poderia ser julgado na primeira instância, uma vez que, quando os fatos teriam acontecido, o Zero Um exercia mandato na Alerj. A segunda turma também anulou quatro relatórios do Coaf que apontavam o envolvimento de Flávio nas rachadinhas, forma de peculato em que o parlamentar se apropria de parte do salário de seus assessores. (Poder360)

Mesmo com a boa largada do ex-ministro Sérgio Moro (Podemos) na corrida presidencial, a pesquisa Atlas divulgada ontem mostra vitória do ex-presidente Lula (PT) em todos os cenários de segundo turno. Na simulação de primeiro turno, Lula lidera com 42,8%, contra 31,5% do presidente Jair Bolsonaro (PL), 13,7% de Moro, 6,1% do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e 1,7% do governador paulista João Doria (PSDB). No segundo turno, Lula vence Bolsonaro por 50,5% a 36%; Moro por 46,4% a 29,2%; Ciro por 42,3% a 21,3%; e Doria por 47,2% a 15,4%. (UOL)

O ex-presidente Lula (PT) disse ontem que tem uma “extraordinária relação” com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, que está de saída do PSDB e é cada vez mais especulado como seu possível companheiro de chapa em 2022. Lula, porém, além de mais uma vez não assumir a própria candidatura, disse que um eventual acordo dependeria da nova legenda de Alckmin. “Vamos ver, se na hora que eu definir se sou candidato ou não, é possível construir uma aliança política. Primeiro preciso ver em qual partido ele vai entrar, ele ainda não decidiu”, disse. (g1)

Meio em vídeo. No Conversas com o Meio desta semana, o professor de história da UNESP Alberto Aggio fala das diferenças entre as esquerdas brasileira, europeia e americana. Uma reflexão sobre seus discursos e para onde caminham. Analisa também quem é Lula no espectro político brasileiro. (YouTube)

Embora não tenha oficialmente cargo de direção no Podemos, o ex-ministro Sérgio Moro passará em dezembro a receber um salário de R$ 22 mil do partido. A prática é legal e comum. Lula recebe vencimentos como ex-presidente da República e salário como presidente de honra do PT. Ciro Gomes, um dos vice-presidentes do PDT, também é remunerado pelo partido. Até novembro, Moro era funcionário da consultoria americana Alvarez & Marsal. (UOL)

Após quase seis meses da indicação, acontece hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado a sabatina do ex-advogado-geral da União André Mendonça para uma vaga no STF. Somente 29 senadores declararam abertamente apoio ao indicado “terrivelmente evangélico” de Bolsonaro, que quando chegar ao Plenário precisará de 41 votos. (Estadão)

Cultura

Autor, entre outras obras, do fundamental Morte e Vida Severina (1955), o poeta João Cabral de Melo Neto (1920-1999) ganha, pelas mãos do professor de literatura da USP Ivan Marques, sua mais completa biografia já publicada. O livro narra, entre outras coisas, a guinada de João, que produzia versos espiritualistas sem conexão com os problemas do Brasil até se envolver com poetas ativistas de Barcelona. De volta ao Brasil, a convivência com Carlos Drummond de Andrade selou sua vocação para a poesia engajada que o consagraria. João Cabral de Melo Neto: Uma Biografia traz também curiosidades. A primeira delas foi quando João implicou com o “l” duplo de seu Mello original e o tirou para que a assinatura se tornasse “verso octossílabo minuciosamente equilibrado”.  (Folha)

Úrsula Corberó, que interpretou a ladra Tóquio na série cult espanhola La Casa de Papel, da Netflix, parece ter levado o papel muito a sério. Em entrevista ao lado de colegas de elenco e da produção, ela confessou ter surrupiado diversos itens do set ao fim da segunda temporada, que, pensava-se, seria a última. Com a renovação da série ela manteve o “hábito”. Durante as filmagens da quinta e última temporada (trailer), que estreia nessa sexta, Úrsula levou para casa até uma joia da prestigiada grife Bulgari. “Ninguém me pediu de volta, então… Se me pedirem eu devolvo”, promete a atriz. (Adoro Cinema)

Diva pop, atriz, bilionária e agora heroína nacional. Pois é, Rihanna acrescentou esse título a seu perfil no Linkedin após receber ontem a honraria em sua terra natal, Barbados. Não que a responsável por Umbrella (YouTube e Spotify) seja a única pessoa importante nascida lá, mas é de longe a mais famosa. A pequena ilha no Caribe se declarou uma república, rompendo seus laços com a Comunidade das Nações britânica, e Sandra Mason, antiga governadora-geral, se tornou a primeira presidente. (g1)

Em tempo. A separação foi amigável. Elizabeth II, que perdeu o título de chefe de Estado, mandou os parabéns ao povo de Barbados. (CNN Brasil)

Cotidiano Digital

A Meta foi condenada a vender a plataforma de imagens animadas Giphy. A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA, em inglês) do Reino Unido disse ontem que o controle da Meta sobre a Giphy reduziria a competição entre as plataformas de mídia social. O Facebook (que agora se chama Meta) comprou a empresa por US$ 400 milhões em 2020. O objetivo era integrar o serviço ao Instagram, tornando mais fácil a busca por GIFS para stories e mensagens diretas. A decisão do órgão regulador europeu marca um movimento importante na discussão sobre a regulação de gigantes de tecnologia. O Facebook disse que pode recorrer da decisão. (CNN Brasil)

Apesar da pandemia ter acelerado a digitalização e o aumento da conectividade, quase 3 bilhões de pessoas — ou 37% da população mundial — nunca usaram a Internet. Segundo a União Internacional de Telecomunicações (UTI) da ONU, 96% dos 2,9 bilhões que não acessaram a web vivem em países em desenvolvimento. (The Guardian)

Meio em vídeo. As redes sociais nos permitem socializar de diversas formas, seja engajando numa conversa, comentando numa foto ou só dando like em cada post que você vê. Porém é muito provável que você já tenha experimentado o que tem de bom e ruim de alguma plataforma, seja o amor por um gato ou ódio por uma notícia. Cora Rónai teve experiências bem peculiares nas redes sociais e vem contar para gente o que aconteceu. (YouTube)

Deixe um comentário

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.